quinta-feira, 9 de setembro de 2010

CONTROLE DOS MOVIMENTOS RESPIRATÓRIOS


Até certo ponto, é possível controlar os movimentos respiratórios. Podemos, por exemplo, parar de respirar durante certo tempo, também é possível aumentar ou diminuir a freqüência de inspiração e expiração. O sistema nervoso, entretanto, exerce sobre os movimentos respiratórios um controle involuntário, isto é, independente de nossa vontade. Após prender a respiração por certo tempo, somos forçados a voltar a respirar, queiramos ou não, os centros nervosos que controlam a respiração localizam-se no bulbo encefálico e na medula espinal. Em condições de repouso, nosso sistema nervoso produz, aproximadamente a cada 5 segundos, impulsos nervosos que estimulam a contração da musculatura torácica e do diafragma, fazendo-nos inspirar.
Quando nos exercitamos, as células musculares aumentam a taxa de respiração celular, liberando mais gás carbônico. Esse gás combina-se com a água e origina acido carbônico, o que torna o sangue mais acido. O aumento da acidez sanguínea é prontamente detectado pelo sistema nervoso, que aumenta a estimulação dos músculos envolvidos na respiração, com aumento da freqüência respiratória. 

Um comentário: